DestaquesNotícias

Você é substituível?

By 25 de agosto de 2011 3 Comments

Você é daqueles que acredita no ditado “Ninguém é insubstituível”? Se for então tente substituir as pessoas acima. Fazendo um link com o último post (Acredite se quiser), este ditado falado diariamente, tem muitos seguidores por ser uma crença social. Entretanto, na prática não se consegue fazer com que esta frase vire verdade. Ou alguém já conseguiu substituir Jesus Cristo?

Esta citação é muito utilizada no meio empresarial e soa como se as pessoas fossem peças ou engrenagens de uma máquina chamada empresa. Por acaso somos andróides para fazer exatamente o que um ser semelhante faz? Afirmar que um ser humano é substituível é o mesmo que tentar padronizar a espécie. Mesmo os irmã(o)s gêmeo(a)s sendo muito parecido(a)s fisicamente, tem os pensamentos e atitudes diferentes um do outro. Claro que é mais fácil aceitar um padrão social que a maioria acha correta, do que questioná-la. E quando um padrão social é aceito pela maioria, gera a percepção, neste caso, de que pessoas e suas funções podem ser substituídas. Por exemplo, a figura do executivo voltado à resultados, com um tom imponente, de gravata e terno milimetricamente alinhados, típico das revistas de negócio, é o objetivo de muitos profissionais no mercado de trabalho. Chegar ao topo da pirâmide capitalista, ser um diretor ou presidente de uma grande empresa é sinônimo de sucesso em nossa sociedade. OK, mas qual é o preço desta “escalada social”?

Em 2006 a Revista EXAME publicou a matéria “Carreira em alta, vida em risco”, que menciona o resultado a seguir:

Diagnóstico ruim
Segundo pesquisa do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, realizada com 400 presidentes de empresas no Brasil, a maioria dos altos executivos cultiva hábitos que comprometem a saúde e corre o risco de desenvolver doenças graves nos próximos anos
Retrato preocupante
70% têm sobrepeso
62% são sedentários
52% possuem taxas altas de colesterol
27% apresentam índices altos de triglicérides (1)
23% acumulam gordura no fígado
18% bebem mais que o recomendável
17% sofrem de hipertensão
Riscos potenciais
40% correm o risco de desenvolver depressão ou outros distúrbios psicológicos
20% podem ser vítimas de doenças cardiovasculares
16% têm possibilidade de apresentar diabetes tipo 2(2)
(1) Gordura no sangue proveniente de alta ingestão de açúcar
(2) Diabetes desenvolvido em conseqüência de maus hábitos de vida

 

Então, vai encarar? Como vai substituir a sua saúde e os anos que perdeu trabalhando 12 horas por dia? Não dá para substituir uma vida. Enquanto escrevo este texto as ações da Apple na bolsa de valores operam em baixa de 7% com o anúncio da renúncia de Steve Jobs do seu cargo de presidente. Se ele fosse substituível por que Bill Gates não teve as mesmas criações e por que a Apple desvalorizou? O que torna uma pessoa substituível é acreditar que pode ser igual à alguém ou um padrão, isso limita qualquer ser humano. E o que transforma uma pessoa em insubstituível é simplesmente a sua autenticidade. Por isso que existem milhares de mulheres com corpo definido e siliconado, e apenas um Jô Soares.

“Uma mentira mil vezes repetida se torna uma verdade.” A frase de Joseph Goebbles – Ministro da Propaganda da era Hitler – ecoa ainda como estratégia de utilizar os meios de comunicação, com uma frequência intensa, para criar uma espécie de doutrina ideológica na sociedade. Um exemplo é o padrão de beleza utilizado na publicidade brasileira, que consegue fazer com que o Brasil seja o 3º maior mercado do mundo em consumo de cosméticos/estéticos, isto é, resultado da busca pelo padrão ditado.

Se esta dinâmica funciona e gera um resultado impactante, vamos todos repetir: o design é insubstituível, o design é insubstituível, o design é insubstituível, o design é insubstituível, o design é insubstituível,…..

Abraços,

Eduardo M. Borba

3 Comments