DestaquesNotícias

Profissional 2.0

By 17 de maio de 2011 No Comments

Como será o trabalho e os profissionais em um futuro próximo? Fizemos aqui uma breve descrição do cenário que imaginamos.

“A figura do “chefe” é substituída pelo líder com alto conhecimento e habilidades em gestão de pessoas. Como os talentos escolherão a empresa e o líder com que querem trabalhar, a extinção do estereotipo “chefe” será gradualmente rápida. Os melhores profissionais prezarão pelo equilíbrio da qualidade entre vida profissional e pessoal. A busca de sentido pelo que faz no dia-a-dia promoverá mudanças sociais no ambiente da empresa. Uma destas grandes mudanças é na hierarquia. Cargos pomposos e que remetem ao poder não serão os objetivos dos profissionais, o equilíbrio será o foco. Sonhos, objetivos, causas e hobbies pessoais se entrelaçarão com as metas de uma empresa.  

Como as organizações serão mais voltadas para a inovação não existirá uma hierarquia rígida, mesmo porque a gestão por controle e poder barra a criatividade das pessoas da organização. Essa perspectiva gera uma descentralização das decisões das empresas, tornando os profissionais com mais responsabilidade e com mais liberdade ao mesmo tempo. O Profissional 2.0 busca sentido para a sua vida, isto quer dizer que questões profissionais e pessoais irão se fundir, diferente do conceito de separar em duas vidas no mesmo ser humano. O que conectará empresas e profissionais serão os valores e os princípios. Um exemplo disso é uma pessoa acreditar que a sustentabilidade é o caminho de nossa sociedade, por esta razão se conectará e terá prazer em trabalhar numa organização que tenha como conceito forte: a sustentabilidade.

Alguns profissionais escolherão o caminho de carreira freelancer, que serão conectados pelas empresas nas quais realiza projetos através de meios eletrônicos, morando no lugar que preferirem estar. Dinheiro, trabalho interessante, a chance de ajudar os outros e mais tempo com suas famílias, são integrados na visão do Profissional 2.0.”

Abraços,

Eduardo M. Borba