DestaquesNotícias

JUROS e o Design

By 24 de maio de 2011 No Comments

O ano de 2010 foi eufórico em termos de consumo no Brasil. A abertura de crédito pelos bancos e o aumento dos empregos e salários das famílias brasileiras foi a fórmula para a expansão das compras de veículos, eletrodomésticos e imóveis, principalmente da classe C. As prestações dos financiamentos que cabiam no bolso naquele momento foi a análise da decisão de compra, isto é, pensando à muito curto prazo. A população só esqueceu de um detalhe, pensar no amanhã. Como a maioria dos brasileiros não tem o hábito da organização e educação financeira, a emoção de alcançar os sonhos de consumo encobriu a razão de conseguir manter estes sonhos.

O que acontece quando se oferece dinheiro para quem não sabe administrá-lo? É óbvio que são dívidas e inadimplência. É isso que está acontecendo no país. A decisão de compra do brasileiro ainda se encontra no valor da prestação e não no JUROS cobrado na transação. A conseqüência disto é uma desigualdade social sem precedentes, pois os bancos nunca lucraram tanto como agora com a inadimplência de seus clientes. Com este raciocínio podemos ver com outros olhos as campanhas publicitárias destas instituições financeiras.

Mas o que o design tem a ver com esta situação? Simplesmente TUDO. Com os brasileiros cada vez mais endividados o consumo diminui, não importa de onde venha a pressão, seja com ações do governo para freiar a inflação ou do próprio consumidor que sendo inadimplente tem restrições de consumo. Esta redução do consumo reflete diretamente na redução de investimentos das empresas que são obrigadas à cortarem custos por causa da diminuição da demanda de seus produtos e serviços. E como o design é um investimento para as empresas ele acaba sendo postergado até a maré da inflação baixar. Desta forma o mercado de design esfria, provocando redução de projetos, salários e empregos.

Sabendo disso, como oferecer um projeto de design para um empresário que sente insegurança na fragilidade econômica do país? Imagine que empregos e a qualidade de vida dos funcionários desta empresa estão em grande parte nas decisões que o empresário tomará neste cenário atual. Nesta simulação, o designer só conseguirá realizar um projeto se realmente colaborar para a sobrevivência e expansão desta empresa. Caso o contrário mude de carreira. A tarefa de casa para todos os designers, não só do Brasil mas de qualquer país é responder a seguinte questão: Como vender design em tempos de crise? São estes momentos que separam profissionais de amadores.

Abraços,

Eduardo M. Borba