DestaquesNotícias

FAZdesign no Vale do Silício 2

By 18 de janeiro de 2012 3 Comments

Apesar do transporte público ser eficiente, a melhor forma de sentir o Vale é a pé. Em cada canto acha-se coisas interessantes. Galerias de arte como a da foto são comuns aqui. Mas uma das melhores experiências que tive nestes primeiros dias foi almoçar com o Designer da IDEO e criador do biocelular Belmer Negrillo, em um restaurante Paquistânes-Indiano.  Para quem não conhece, a IDEO é a mais conceituada empresa de Design e Inovação do mundo. Ao toque de uma comida forte com muita pimenta, conversamos sobre o mercado e o processo de design, projetos e coisas que não posso falar aqui. Um dos principais temas que Belmer comentou foi o que faz o Vale do Silício ser tão inovador e bem sucedido. Em sua tese, 3 tópicos favorecem para se ter este resultado. O primeiro é a concentração de excelentes profissionais na região. O segundo é a existência de muitos investidores de risco, isto é, muito dinheiro disponível para novas empresas e produtos. E o terceiro é a cultura/diversidade, que, segundo Belmer é um dos valores mais importantes para as pessoas da região.  Belmer ainda comentou que estão acontecendo dois grandes movimentos no Vale. Um movimento são designers criando empresas ao invés dos costumeiros engenheiros. Como vocês sabem, sempre levantei esta bandeira para o design no Brasil, dos designers serem mais empreendedores, de cruzar gestão com design. Bem, aqui este processo já começou. O segundo movimento é de Crowdfunding, que no Brasil também já está aparecendo.

Para quem gosta de moda a Union Square(foto acima tirada no último andar da Macy’s) é o sonho de consumo. Diversas lojas de marcas como Louis Vitton, Bulgari, Giorgio Armani, Levis’s (que nasceu em San Francisco), dentre outras, estão concentradas nesta quadra mostrando em suas vitrines as tendências da moda. Achei um café(foto abaixo) em uma pequena rua da Union Square. Que cappuccino!

Durante o dia e também a noite é possível ver e ouvir músicos se apresentando nas calçadas. O que me chamou mais atenção foi um músico que o seu iPad como instrumento. Este é mais um pouco do Vale do Silício, onde arte e tecnologia estão juntas para criarem o que vemos em nosso mundo. Aguardem o próximo post.

Abraços,

Eduardo M. Borba

3 Comments

  • Alessandra disse:

    Estava me perguntando agora o que pode ter levado a essa concentração de bons profissionais na região… o próprio lugar favoreceu isso? Ou profissionais de fora viram uma boa oportunidade e foram para lá? O mesmo eu me pergunto quanto aos investidores. Eles devem ter visto potencial na região… algum outro fator favoreceu isso.

    • Borba disse:

      Acredito que foi um processo. O Vale tem um histórico interessante, do Velho Oeste(filmes de cowboy) à ser o epicentro da contra-cultura(hippies) nos anos 60. O importante é que hoje sabemos os principais fatores para estimular uma região à ser inovadora. Gostaria que Joinville se transformasse numa região destas. Abs, Eduardo M. Borba

  • Alessandra disse:

    Interessante, preciso ler sobre a história do lugar!