DestaquesNotícias

Do Brasil para o mundo

By 1 de dezembro de 2011 4 Comments

“Nós temos a criatividade presente no mundo, o que nos falta agora é ter marcas brasileiras presentes no mundo também, e esse é um trabalho que a gente vem fazendo esses anos.”

Essa frase é de Marco Aurélio Lobo, gestor do Projeto Design Brasil da Apex-Brasil, em uma entrevista concedida ao Brasil Design Week, evento que ocorreu em novembro, em São Paulo, com o intuito de posicionar o design como agente essencial para transformação da indústria brasileira.

Na entrevista, apesar de ser sabido que o design é uma ferramenta estratégica para impulsionar os produtos brasileiros, fica evidente o longo caminho que ainda é preciso ser trilhado para lançar o país no mercado internacional.

Marco, a Apex Brasil fomenta diferentes setores no país. Quais são os projetos e ações para exportar o design brasileiro?

A Apex Brasil é uma agência nova, ela tem 10 anos de existência, e tem como foco a promoção comercial internacional dos produtos e serviços brasileiros – nós temos hoje 80 projetos da casa em diversas áreas, e o design para nos é transversal. O apoio que nós damos a ABEDESIGN é para que ela possa atender a diversas áreas, máquinas agrícolas, área de cosméticos, nós temos também a área de produtos médicos e hospitalares. Então para tudo isso é importante a presença do design.

E quando eu falo ‘design’ não é só a palavra em si, mas a gestão dela. O que seria isso?

Como é um projeto, um produto para exportar? Eu tenho que ter os mercados-alvo, de que forma me apresentar naqueles mercados, porque o nosso gosto não é igual ao de um americano ou ao de um europeu, então tudo isso a Apex apoia, e hoje estando aqui no Brasil Design Week é uma forma de apresentar esse conjunto de ações.

E pelo jeito está dando certo porque o Brasil acaba de conquistar 10 prêmios no International Design Excellence Awards (IDEA), que é considerado o “oscar” do design. O Brasil já exporta? E quais países compram os nossos produtos e que produtos são esses?

O Brasil exporta muitos produtos, alguns com design, mas ainda precisamos trabalhar a questão da cultura do design com a cultura exportadora, ou seja, temos um mercado gigantesco, ainda mais com esse momento fantástico que estamos passando, mas nós temos que melhorar nosso produto exportando. Porque os mercados lá fora exigem a questão do design, e esse é nosso dilema hoje, porque a junção dos escritórios de design e a indústria nacional para que isso possa ocorrer ainda é um grande entrave, e a agência vem fazendo um trabalho de sinergia, de parceria entre ambas as partes. Então ganhar prêmios é importante, mas ainda não há um reconhecimento interno no país, da importância desses prêmios e lá fora o ganhar o prêmio muitas vezes os designers ou as empresas não têm o apoio para estar com o produto no mercado que eles desejam. Então a Apex vem nesse sentido, trabalhando essa promoção. É difícil, porque o Brasil não é um país que quando você fala ‘Brasil’ lá fora o cara vai pensar em design, não se fala isso. Então é um trabalho de formiguinha que a gente vem trabalhando e desenvolvendo nos últimos 8 anos em premiações internacionais. Mas ainda precisamos de muito trabalho para sermos reconhecidos.

Mas o Brasil já é reconhecido na área de publicidade e propaganda. Com esse trabalho que vocês estão fazendo você acredita que o setor design, o design brasileiro, chega lá em quanto tempo?

O Brasil vem nos surpreendendo com relação ao design. Se você olhar marcas grandes e internacionais, a Volkswagen por exemplo, o diretor hoje de estilo da VW internacional da Alemanha é um brasileiro. Quando você fala Calvin Klein hoje, o estilista é um brasileiro.

Então nós temos a criatividade presente no mundo, o que nos falta agora é ter marcas brasileiras presentes no mundo também, e esse é um trabalho que a gente vem fazendo esses anos.

E aquele empresário que quiser contar com a Apex, com a ajuda de vocês, o que ele deve ter, o que ele deve fazer?

Primeiro entender o que é exportação. Não é uma simples venda ou um simples gostar de estar lá fora. Ele tem que entender a importância de se estruturar para exportar e ao mesmo tempo buscar aliados, parceiros para isso. E a ABEDESIGN, que é um grande parceiro da Apex, é um caminho para que o escritório de design possa entender isso, possa perceber como estar no mercado internacional.

 

Fonte: movimentobrasilhsm.com.br

4 Comments

  • Jef disse:

    E viva todo tipo de ação e programa para realmente valorizar e apoiar o crescimento dos escritórios e empresas que investem em design!

  • Borba disse:

    O design cada vez mais precisará de gestão para contribuir com o desenvolvimento do país.

  • Marco Lobo disse:

    Grandes amigos da FAZ Design, agradeço pelo registro de minha entrevista no BRasil Design Week. Aguardem o ano que vem, que terão muitas boas surpresas!!! Abs

    • Borba disse:

      Olá Marco, nós que agradecemos por sua contribuição para a história do Design Brasileiro. De você sempre esperaremos boas surpresas! Abraços!