DestaquesNotícias

Deu pane no ser humano

By 22 de setembro de 2011 No Comments

 

O avanço da tecnologia, a globalização, a internet, enfim, mudou e está mudando o mundo e o comportamento humano. Entretanto, a maioria se esquece do labo B desta “evolução”. Para se ter uma ideia de como as mudanças estão interferindo na vida (e sua qualidade) das pessoas, vamos aos fatos.

A internet passou a ser tão necessária para estudantes e profissionais quanto água, comida e moradia, segundo uma pesquisa da empresa de tecnologia Cisco, realizada com jovens de até 30 anos em 14 países.
No Brasil, três em cada cinco estudantes e jovens profissionais fizeram essa afirmação. Eles ainda disseram que, entre um carro e a internet, preferem acesso à rede. No campo profissional, 75% da chamada geração Y brasileira afirmou não viver sem a internet. Além disso, 72% dos universitários brasileiros afirmaram que preferem navegar na internet a namorar, ouvir música e sair com os amigos. (Folha de S.P. – 22/09/02011)

Sabemos que toda mudança tem consequências. Distúrbios psíquicos é uma delas. Nos últimos cinco anos o faturamento da indústria farmacêutica, com a comercialização de antidepressivos e estabilizadores de humor cresceu 138,5% , bem acima da média mundial de 15,4%. As vendas brasileiras saltaram de US$ 271,6 milhões em 2006 para US$ 647,8 milhões em 2010, segundo dados do IMS Health, instituto de pesquisa que faz a auditoria do mercado de medicamentos. Esta informação pode ser um indicador do efeito colateral da “evolução”.

O mercado destes medicamentos é promissor. A Organização Mundial de Saúde (OMS) prevê que em 2030 a saúde mental vai ocupar lugar de destaque no orçamento doméstico. A depressão vai ser a doença mais comum, à frente de outros problemas, como os cardiovasculares.

O stress da vida moderna, gerada pelos fervorosos  avanços tecnológicos, ditos como “evolução”, está visivelmente adoecendo a humanidade. O aumento absurdo no consumo destes medicamentos reflete um colapso mental, emocional e por consequência físico do ser humano. Mas parece que os tarjas-preta ainda não são o suficiente, o ser humano ainda procura outros tipos de fuga para ter seus valiosos momentos de” paz de espírito”. Segundo dados do estudo mundial divulgado pela PwC – PricewaterhouseCoopers, o consumo de serviços de entretenimento relacionados a internet, música, cinema e vídeo estão entre os principais motores de crescimento, que levarão o mercado global a US$ 1,9 trilhão até 2015. Em 2010, o Brasil foi o que mais cresceu no mundo em mídia e entretenimento: 15,3%, atingindo US$ 33,1 bilhões. Será que o grande consumo de entretenimento no mundo e especificamente no Brasil não é um tipo de refúgio, uma forma de preencher algo que está faltando, de fugir de problemas reais? E nem vamos comentar do consumo de bebidas alcóolicas e drogas ilícitas. Parece que o foco do ser humano do material world está mais na embalagem do que no seu conteúdo. Se isso não fosse verdade o Brasil não seria o terceiro mercado do planeta em consumo estético.

Enfim, estes números e pesquisas mostram que o ser humano está enfrentando a sua 3ª Guerra Mundial, onde os conflitos são internos, dentro de cada um. Existem valores humanos que a tecnologia e a internet jamais conseguirá substituir. Entretanto, se usada conscientemente pode ajudar a potencializar estes verdadeiros valores. Assim como se usou a internet para pesquisar as informações citadas acima, analisando-as e compartilhando este texto com todos usando esta tecnologia.

Abraços,

Eduardo M. Borba